sábado, 3 de outubro de 2009

* Luke Feldman *

Dentro do peito, no entanto; havia ainda aquele ponto brilhante, incandescente, de onde saía uma chuva de pequenas fagulhas. Era quase insuportável. Ela mal tinha coragem de respirar, por medo de atiçar aquele fogo ainda mais; contudo, respirava fundo... fundo. Quase não tinha coragem de olhar-se no espelho frio; mas olhou, e ele mostrou-lhe uma mulher radiante, com lábios trêmulos, sorridentes, grandes olhos escuros e um ar de quem está à espera de que alguma coisa... divina aconteça. Ela sabia que iria acontecer infalivelmente.

Katherine Mansfield http://www.releituras.com/kmansfield_bliss.asp


Um comentário:

vida cotidiana disse...

Adorei o texto, com certeza o amor, só ele transforma, nós coloca em chamas.... adorei o blog.