quarta-feira, 7 de maio de 2008

  • Pensar no final de um amor, de uma amizade, de um sonho...
    Isso deixa qualquer um triste... Ler 'Fala comigo' deixa qualquer um triste...
Tennessee Williams e seus estranhos.

Mas aí pensar em Pollyana (lembra?) deixa a gente mais alegre:
a certeza de que tudo vai dar certo no final.
Uma nova chance, um novo amor, uma vida nova.

Nós nos sentimos recomeçando.
Do zero. Muito bom isso.
Co-ra-gem. Pra colocar um ponto final e pra acreditar que agora vai ser diferente.
Não ‘voltar para a cama’ e sim sair pela porta e ir para onde ‘a ansiedade desaparecerá’.

Nós não queremos só falar, queremos muito mesmo é fazer.
É isso sim que a gente quer e espera da vida, é isso que a gente busca na arte.

Cynthia Paulino e Paolo Mandatti

Um comentário:

gu! disse...

...os atores dela são assim... confusos, ansiosos, errando sempre na sede de acertar... questionando sempre o inquestionável... os atores dela são assim... choram em casa entre quatro paredes, exaustos com a exigencia que ela faz, que o teatro faz... os atores dela são assim... medrosos, medrosos, medrosos, medrosos, medrosos... se culpam o tempo todo... as vezes, os atores dela não se perdoam, são exigentes demais, sentem tudo com raciocínio... os atores dela são assim, eles tentam raciocinar... eles tentam... o grande mistério está aí... eles SÃO atores dela, seja destino ou não, mas pela própria escolha...

"...eu estou dolorido, como se tivessem me dado pontapés escada abaixo, não como se tivesse caído, mas chutado..."